[GUIA] Low Carb – Perguntas e Respostas

jejum para perder peso

O que é Low Carb?

A Low Carb é uma dieta que consiste no baixo consumo de carboidratos, que estão presentes em farinhas brancas e outros produtos açucarados. No lugar deles, a pessoa deve consumir alimentos ricos em proteínas e gorduras naturais e vegetais, que irão oferecer mais saciedade e promover a perda de peso.

banner2

Como funciona e como fazer?

A dieta Low Carb tem como característica principal a exclusão de alimentos de alto índice glicêmico, ou seja, não é permitido comer biscoitos, pães, sorvetes e outras alternativas doces. A partir disso, a pessoa começa a inserir mais proteínas, como carnes bovinas e frangos, e fibras, presentes em legumes e verduras, no seu cardápio.

Com a diminuição de carboidratos, o corpo irá buscar em suas reservas de gordura uma forma de energia para se manter ativo. Esse processo pode ser um tanto difícil no período de adaptação, causando, em alguns casos, efeitos colaterais temporários, como sono, preguiça, cansaço, entre outros. De qualquer forma, é essencial o acompanhamento de um nutricionista para que tudo ocorra de forma correta e segura na dieta.

Por que Low Carb emagrece? 

Ao ingerir um alimento de alto índice glicêmico, o organismo da pessoa sofre com picos de insulina, o hormônio responsável pelo deslocamento da energia dos alimentos para as células do corpo. Quando há um excesso de glicose inutilizada pelas células, essa energia acumulada acaba se transformando em estoques de gordura, resultando no ganho de peso.

Para queimar a gordura estocada em forma de energia, o organismo precisa liberar um hormônio chamado glucagon, responsável pelo emagrecimento. Entretanto, ele quase nunca é liberado quando o indivíduo consome alimentos de alto índice glicêmico. Por esse motivo, a dieta ideal para quem deseja emagrecer deve conter alimentos com baixo índice glicêmico, que irão influenciar na redução dos picos de insulina e na liberação do glucagon.

Por ter como característica principal o consumo reduzido de carboidratos e desfrutar de proteínas, fibras e gorduras boas, a dieta Low Carb se torna uma ótima alternativa para que o processo anteriormente citado aconteça e resulte no emagrecimento de forma efetiva e saudável.

  • Principais dúvidas sobre alimentos Low Carb

receitas low carb

Pipoca é Low Carb?

A pipoca não é considerada Low Carb, pois se trata de um alimento com um alto teor calórico e de carboidratos, o que não é permitido na dieta. Portanto, embora tenha outros benefícios para a saúde quando consumida em sua forma natural, ela não é indicada para pessoas que procuram perder peso seguindo o método Low Carb.

Tapioca é Low Carb?

Não. A tapioca é extraída da mandioca que contém, basicamente, apenas carboidratos e um alto índice glicêmico. Por isso, se a pessoa está realizando a dieta Low Carb em busca do emagrecimento, ela não deve consumir esse alimento.

Aveia é Low Carb?

Em geral, a aveia não é Low Carb, pois contém um alto teor calórico, com 389 kcal a cada 100g. Portanto, não é recomendado consumir esse tipo de alimento para substituir o pão, sendo recomendando que se prefira o consumo de farinhas provenientes das oleaginosas, como amêndoas, em poucas quantidades.

Amendoim é Low Carb?

Sim, na quantidade de no máximo 30g por dia. No entanto, é preciso ressaltar que numa dieta que visa a perda de peso como a Low Carb, o amendoim pode acabar atrapalhando os resultados quando ingerido em excesso, uma vez que possui um alto teor calórico.

Abóbora é Low Carb?

Sim. A abóbora possui uma grande quantidade de fibras e um baixo teor calórico e, por isso, pode ser usada na dieta Low Carb a fim de melhorar a evacuação e o trânsito intestinal, proporcionando também mais saciedade. Na perda de peso, esse alimento, por ser rico em potássio, pode se tornar um grande aliado para reduzir a retenção de líquido.

Milho é Low Carb?

O alto teor de amido presente no milho faz com que o alimento tenha mais carboidratos do que fibras. Dessa forma, o milho não é considerado Low Carb e deve ser evitado na dieta para quem busca perder peso.

Quinoa é Low Carb?

Por ser um carboidrato de alto nível proteico, a quinoa pode ser consumida na Low Carb, de forma moderada. O grande potencial desse cereal está relacionado ao seu baixíssimo índice glicêmico, que faz com que o alimento demore para ser transformado em açúcar no sangue, evitando os picos de insulina.

Farinha de aveia é Low Carb?

Não. A farinha de aveia é produzida através da parte interna do grão, possuindo uma concentração de fibras menor do que a encontrada nos flocos e no farelo, além de ser pobre em nutrientes e rica em carboidratos e açúcares. Dessa forma, a farinha de aveia é proibida na dieta Low Carb.

Farinha de arroz é Low Carb?

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a farinha de arroz não é Low Carb. Por conter uma grande quantidade de carboidrato e alto teor calórico, essa farinha não deve ser consumida na dieta por quem deseja promover o emagrecimento.

Castanhas são Low Carb?

As castanhas são permitidas na dieta Low Carb, desde que sejam consumidas de forma moderada. O ideal para quem procura perder peso é não passar de 30g por dia, e deve-se ter cuidado, pois é muito fácil acabar exagerando nas porções.

Cogumelos são Low Carb?

Sim. Os cogumelos se tornam uma ótima alternativa para refeições Low Carb, uma vez que esse tipo de alimento contém um nível muito baixo de carboidratos e uma grande quantidade de fibras e antioxidantes, que ajudam na sensação de saciedade e limpeza do organismo respectivamente.

Tâmaras são Low Carb?

Não. Uma porção de 40g, 4 tâmaras, possui um valor energético de 149 kcal, no qual 36g são de carboidratos. Dessa forma, essa fruta não deve ser consumida na dieta Low Carb e deve ser evitada por pessoas que querem perder peso.

Frutas são Low Carb?

De uma forma geral, as frutas são Low Carb, mas depende da quantidade e qual tipo de fruta que você vai consumir durante o dia.

A alimentação Low Carb deve ser baixa em carboidratos e, consequentemente, deve ser baixa em açucares. Por esse motivo, deve-se ter atenção na escolha das frutas, pois embora sejam naturais, elas contêm frutose, uma fonte de carboidrato que pode dificultar a perda de peso através da Low Carb. Portanto, o indicado é consumir pequenas porções de morango, kiwi, amora e maracujá, enquanto frutas como banana, abacaxi, pera e uvas devem ser evitadas.

Embutidos são Low Carb?

Em geral, os embutidos são Low Carb por apresentarem um baixo nível de carboidratos. No entanto, é preciso ter muito cuidado com esse tipo de alimento, uma vez que quanto mais industrializado ele for, existem mais chances dele conter algum carboidrato escondido em corantes ou um alto teor de sódio que, consequentemente, irá resultar em inchaço e retenção de líquidos ou problemas de saúde conforme o passar do tempo. Portanto, o indicado é sempre preferir por alimentos naturais para uma dieta mais saudável.

Ervilhas são Low Carb?

Não. Assim como o milho, as ervilhas possuem uma grande quantidade de amido, que resulta em um alto teor calórico e índice glicêmico maior. Portanto, esse alimento não é indicado na dieta Low Carb e deve ser evitado por quem quer emagrecer.

200rlc

Quais farinhas são Low Carb?

  • Farinha de amêndoas – Além de ser usada nas receitas paleo e sem glúten, a farinha de amêndoas é uma fonte de fibras, proteínas, magnésio, vitamina E e antioxidantes muito importantes para o organismo. Dessa forma, a sensação de saciedade é maior e o nível de glicemia é controlado, o que pode auxiliar no tratamento de diabetes, por exemplo.
  • Farinha de castanha de caju – Rica em magnésio e zinco, e indicada para preparar bolos, farofas e saladas, a farinha de castanha de caju não possui uma grande quantidade de carboidratos e não contém glúten, sendo ideal para a dieta Low Carb. Seus benefícios incluem também a prevenção de dislipidemia, uma vez que as gorduras mono e poli-insaturadas presentes nela diminuem o LDL (colesterol ruim).
  • Farinha de amendoim – Assim como as outras farinhas citadas, a farinha de amendoim é baixa em carbo e não contém glúten, sendo ideal para receitas Low Carb. Além disso, ela é rica em gordura monoinsaturada, auxiliando na prevenção de doenças cardiovasculares e diversas outras complicações de saúde.
  • Farinha de nozes – A farinha de nozes também possui um baixo nível de carboidratos e não contém glúten, muito indicada para o preparo de bolos, tortas e pães Low Carb. Por ser rica em antioxidantes, como a vitamina E, e gorduras mono e poli-insaturadas, ela oferece muitos benefícios para a organismo e complementa uma alimentação mais saudável.
  • Farinha de casca de maracujá – Feita a partir da parte branca da casca, a farinha de casca de maracujá promove a saciedade e emagrecimento, não contém glúten, e é rica em nutrientes que ajudam na redução de picos glicêmicos e controle do colesterol, como a fibra pectina, a vitamina B3 (niacina), ferro, cálcio e fósforo.
  • Farinha de semente de abóbora – Por apresentar baixo teor de carboidrato e ser rica em fibras, a farinha de semente de abóbora ajuda no controle da fome, promovendo a saciedade. Além disso, ela contém muitas proteínas e minerais importantes para o organismo, como o magnésio, potássio e ferro.
  • Farinha de linhaça – A farinha de linhaça, além de controlar a glicemia e causar uma sensação maior de saciedade, é rica em fibras que ajudam no funcionamento do intestino e na saúde do coração.
  • Farinha de coco – Baixíssima em carboidratos, a farinha de coco contém muitas fibras, proteínas e gorduras boas, que auxiliam uma boa alimentação Low Carb. Pode ser usada no preparo de pães, saladas e iogurtes.

Quais frutas são Low Carb?

  • Abacate – O abacate, além de ser muito pobre em carboidratos, possui uma quantidade excelente de gorduras boas e diversos outros nutrientes. Por isso, ele é uma ótima opção para quem deseja comer frutas durante a dieta Low Carb.
  • Coco – Assim como o abacate, o coco também é rico em gorduras boas e pobre em carboidratos. Portanto, ele pode ser consumido na dieta Low Carb, preferencialmente direto da polpa.
  • Frutas vermelhas – Quando consumidas em pequenas porções, as frutas vermelhas, como morangos, framboesas e cranberry, se tornam uma boa alternativa para quem deseja reduzir o consumo de carboidratos e adotar a dieta Low Carb. Além disso, é importante ressaltar que essas frutas são riquíssimas em antioxidantes, trazendo diversos outros benefícios para o organismo.
  • Melão – Por conter uma grande quantidade de água, reduzindo o carboidrato, o melão pode ser consumido na dieta Low Carb. No entanto, deve-se consumir porções pequenas, 1 fatia por dia, para que os efeitos da fruta no organismo não se tornem prejudiciais para a perda de peso.
  • Melancia – Assim como o melão, a melancia também possui um baixo nível de carboidratos, pois contém uma grande quantidade de água. De qualquer forma, ela também deve ser consumida de forma moderada.
  • Limão – Embora tenha carboidratos, o limão pode ser consumido em pequenas porções, uma à duas unidades por dia, na dieta Low Carb.
  • Maracujá – Por conter uma quantidade reduzida de carboidratos, o maracujá é uma das frutas permitidas e indicadas na dieta, podendo ser consumido em sua forma natural ou através de receitas Low Carb.

Quais alimentos são Low Carb?

Os alimentos que apresentam um baixo teor de carboidrato são Low Carb. Contudo, é preciso ressaltar que farinhas refinadas, doces, refrigerantes e bebidas alcoólicas não são bem-vindos na dieta e, por isso, devem ser restringidos para que os resultados sejam efetivos.

Quais queijos são Low Carb?

Um dos diversos pontos positivos da Low Carb é a possibilidade de incluir queijos no cardápio. No entanto, é preciso ter atenção na hora de escolher o alimento, pois não são todos que são indicados na dieta.

Os queijos liberados na alimentação Low Carb são aqueles que possuem menos carboidratos. Por isso, o recomendado é buscar pelas versões mais amarelas como, por exemplo, o queijo provolone. Essa preferência existe porque quanto mais tempo de maturação, menos lactose (açúcar do leite) sobrará, tornando o queijo mais amarelo e gorduroso, com baixo teor de carboidratos.

De forma geral, os queijos permitidos na dieta Low Carb são:

  • Queijo mussarela;
  • Queijo parmesão;
  • Queijo cheddar;
  • Queijo gorgonzola;
  • Queijo edam;
  • Queijo colonial;
  • Queijo coalho;
  • Queijo suíço;
  • Queijo de cabra;
  • Queijo provolone;
  • Queijo prato.

Por fim, deve-se ressaltar que é preciso ter um controle no consumo desses alimentos, pois embora tenham poucos carboidratos, porções exageradas podem acabar prejudicando os resultados da dieta.

200 Receitas Fáceis, baratas e com ingredientes simples:

EU-QUERO

Quais legumes são Low Carb?

Os legumes são uma boa fonte de energia e oferecem diversos benefícios para a saúde, se tornando essenciais em qualquer estratégia alimentar.

Na Low Carb, eles são ainda mais importantes, uma vez que o seu consumo substitui a necessidade de carboidratos do corpo, promovendo o emagrecimento. Portanto, os legumes Low Carb são:

  • Pimentão;
  • Aspargos;
  • Abobrinha;
  • Berinjela;
  • Pepino;
  • Cebola;
  • Chuchu;
  • Vagem;
  • Cenoura;
  • Abóbora;
  • Tomate.

Contudo, é importante ressaltar que legumes como a beterraba, a batata, o milho, a ervilha, o feijão e a mandioca não são Low Carb e devem ser evitados, pois contêm um grande teor de carboidratos.

Quais iogurtes são Low Carb?

Existem muitas dúvidas em relação ao iogurte na Low Carb e, por isso, vale ressaltar que sim, ele é permitido na alimentação, desde que não passe de uma porção por dia.

No entanto, não são todos tipos que estão liberados, e a maioria que encontramos nos corredores dos supermercados nem são iogurte de verdade, mas sim leite fermentando, além de conter diversos ingredientes químicos, açúcares e carboidratos que não são bem-vindos numa boa alimentação.

Portanto, os iogurtes permitidos e recomendados na Low Carb são aqueles que possuem baixo teor de carboidrato, menos de 10g, como:

  • Corpus light;
  • Molico zero;
  • Pense zero;
  • Nestlé Natural Desnatado.

Frutas secas são Low Carb?

Não. As frutas secas sofrem uma grande alteração em seu processo de produção, no qual a maior parte da sua água é eliminada, sobrando apenas o açúcar. Dessa forma, o consumo desses alimentos pode prejudicar os resultados da dieta Low Carb, uma vez que apenas uma porção de frutas secas contém muitos carboidratos.

200rlc2

Quais grãos são Low Carb?

Em geral, os grãos presentes na maioria dos alimentos que está presente no mercado não são indicados na dieta Low Carb, pois possuem um alto teor de carboidratos e sofreram diversas alterações em sua produção.

No entanto, algumas pessoas preferem não excluir totalmente esses alimentos do cardápio, adaptando inicialmente a Slow Carb. Por isso, vale ressaltar que eles devem ser consumidos em suas versões integrais e em poucas porções, pois apresentam mais fibras que irão dar uma sensação maior de saciedade e controlar a fome.

Dessa forma, os grãos Low Carb permitidos com moderação e em poucas quantidades são:

  • Arroz integral;
  • Macarrão integral;
  • Milho;
  • Feijão;
  • Lentilha;
  • Grão-de-bico.

 

  • Como começar a Low Carb?

Quais os principais alimentos Low Carb?

  • Proteínas – Fundamentais na dieta Low Carb, as proteínas que podem ser consumidas são carne bovina, ovos, peixes, frangos e queijos. Embora não existam restrições, prefira sempre os alimentos naturais e não processados para uma dieta mais saudável.
  • Legumes e verduras – Muito importantes por conter fibras que ajudam a regular o intestino e exercer outras funções do corpo, os legumes e verduras, como chucu, abobrinha, berinjela, e espinafre, devem ser consumidos na dieta Low Carb.
  • Bebidas – Ao contrário do que muitos pensam, a água com gás e refrigerantes zero podem ser consumidos na Low Carb. Bebidas como cafés e chás também estão liberadas, desde que sejam sem açúcar.

Como substituir o arroz?

Como você já deve saber, o arroz não é permitido na Low Carb, pois possui uma grande quantidade de carboidratos. A partir disso, existem muitas dúvidas em relação à exclusão de um alimento tão comum nas refeições, afinal, o que pode substituir o arroz?

Para responder essa pergunta, é preciso primeiramente ressaltar que a dieta Low Carb não se trata de uma restrição de alimentos, mas sim de uma troca para alternativas mais saudáveis, abrindo um menu totalmente novo e surpreendente para quem está iniciando.

Dessa forma, o arroz pode ser substituído por diversas outras versões como, por exemplo, arroz de couve flor e arroz de brócolis. Além disso, existem muitas outras receitas Low Carb que são extremamente práticas e podem deixar suas refeições mais deliciosas, promovendo o emagrecimento e outros benefícios para a saúde.

Como se pronuncia?

A pronúncia de Low Carb é Lol-Cárbi. Na língua portuguesa, a expressão significa “baixo carboidrato”.

Dá pra fazer com pouco dinheiro?

Sim. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, é possível seguir uma dieta Low Carb sem gastar muito. O que ocorre, na verdade, é uma alteração nos hábitos alimentares, na qual alimentos como biscoitos, pães, doces, e refrigerantes não são incluídos na lista de compras. Dessa forma, a pessoa acaba economizando, pois não estará adquirindo produtos industrializados de todos os tipos, mas sim optando por aqueles que são saudáveis e irão proporcionar mais saciedade ao longo do dia.

Devo aliar com Jejum Intermitente?

O Jejum Intermitente é um método de emagrecimento que, embora seja bastante antigo, está ganhando muita fama nos dias atuais por conta dos seus resultados efetivos. Contudo, é importante ressaltar que ele não é uma dieta, pois não diz o que a pessoa deve consumir. Ao invés disso, controla os horários em que ela vai comer, sendo benéfico para o controle da insulina no organismo e perda de peso.

Aliar a Low Carb ao Jejum Intermitente pode ser bastante vantajoso, uma vez que os períodos de tempo sem comer irão potencializar os efeitos da dieta. Dessa forma, a pessoa terá um cardápio que visa o emagrecimento durante as janelas de alimentação, evitando consumir carboidratos que podem aumentar a glicose e causar o ganho de peso.

Low Carb e Cerveja

A Low Carb é uma dieta caracterizada pela redução no consumo de carboidratos com índice glicêmico alto, portanto, deve-se evitar beber cerveja.

  • A cerveja:

A cerveja, assim como diversas outras bebidas alcoólicas, é rica em carboidratos, além de possuir muitas calorias e ser pobre em nutrientes importantes para o organismo. Com ela, a pessoa acaba ingerindo calorias vazias, que não irão beneficiar o organismo de nenhuma forma. Muito pelo contrário, a bebida pode até mesmo atrapalhar o processo de queima de gorduras, jogando no lixo os esforços feitos para seguir a dieta Low Carb e perder peso.

  • O álcool:

Quando ingerimos uma bebida alcoólica, nosso organismo a metaboliza antes de outros nutrientes para usá-la como combustível. Esse processo acaba atrapalhando a queima de gordura, pois o nosso corpo guarda a energia de carboidratos, proteínas e gorduras em forma de tecido adiposo, o que, consequentemente, leva ao aumento da gordura corporal.

low carbbanner

Causa Queda de cabelo?

Embora seja um pouco raro, é possível perceber uma queda de cabelo 3 ou 4 meses após o início da dieta Low Carb. Isso ocorre principalmente pela restrição de calorias repentina, o que faz com que o organismo deixe algumas funções em segundo plano, como o crescimento dos fios. Além disso, outros fatores, como o estresse causado pela dieta, também podem influenciar no surgimento do problema.

  • O que fazer? 

A boa notícia é que esse fenômeno é temporário, e depois de um tempo os fios voltam a crescer de forma normal. No entanto, é importante ressaltar que a restrição calórica muito agressiva ou feita de forma incorreta pode causar diversas outras complicações e, por isso, uma alimentação rica em fibras, gorduras e proteínas é tão necessária para a realização da dieta.

Além disso, existem alguns dos nutrientes que você pode incluir em seu cardápio Low Carb para reduzir a queda de cabelo, como:

  • Ferro (carne vermelha, vegetais verde-escuros, sementes);
  • Zinco (frango, nozes, gema de ovo);
  • Biotina (amendoim, cogumelos, nozes);
  • Cromo (ovos, linhaça e frutos do mar);
  • Selênio (castanha-do-pará, queijo, frango);
  • Vitamina B6 (abacate, espinafre, sementes).

Comecei e tive diarreia

As alterações no funcionamento do intestino ocorrem devido as mudanças nos hábitos alimentares ocasionados pela dieta Low Carb. Ao invés de comer produtos com alto índice glicêmico que não oferecem benefícios para o seu corpo, você estará consumindo mais nutrientes e mais fibras que serão absorvidas com mais eficiência, o que pode acabar desencadeando a condição.

  • O que fazer?

Na maioria dos casos, a diarreia ocorre apenas nos primeiros dias de dieta. No entanto, é importante ressaltar que alguns alimentos podem estar por trás do problema e, por isso, devem ser evitados. Portanto, o indicado é reduzir o consumo de vegetais crus e frutas com casca que estimulam o trânsito intestinal, e focar em alimentos mais leves.

Comecei e fiquei com o intestino preso

Ao reduzir o consumo de certos alimentos, como pães, arroz e massas integrais, principalmente para atingir o estado de cetose, é possível que a pessoa acabe enfrentando efeitos como, por exemplo, a prisão de ventre.

De forma geral, isso ocorre porque ao alterar a alimentação e ingerir menos fibras, o intestino fica preguiçoso e trabalha menos, provocando gases e inchaço abdominal.

  • O que fazer?

As fibras são essenciais no processo de formação do bolo fecal e, por isso, devem estar presentes na dieta. Portanto, procure consumir mais vegetais Low Carb, como espinafre, brócolis e berinjela.

Além disso, é preciso ressaltar que uma boa hidratação é extremamente necessária para o funcionamento regular do intestino, assim como gorduras boas que são permitidas na dieta. Dessa forma, beba pelo menos 2 litros de água por dia e consuma alimentos ricos em gorduras e fibras, como o abacate e o coco.

  • Quem pode fazer Low Carb?

Estou amamentando, posso fazer Low Carb?

Em geral, não existem comprovações científicas de que a Low Carb cause algum efeito nocivo para o leite materno, levando em conta que a gordura consumida na dieta pode ajudar na sua produção. No entanto, algumas entidades dos Estados Unidos afirmam que a lactante deve consumir pelo menos 210g de carboidrato por dia, algo que iria contra ao método Low Carb.

Portanto, as mães que buscam perder o peso ganho durante o período gestacional devem adotar uma alimentação saudável e balanceada, que exclua farinhas refinadas, açúcares, produtos processados, entre outros. Dessa forma, uma das opções cabíveis para esse contexto trata-se da dieta Paleo, que consiste em um cardápio extremamente natural. Contudo, é necessário sempre consultar um profissional da saúde antes de adotar qualquer dieta, para que se realize exames e descubra o melhor método de emagrecimento para o seu organismo.

Estou grávida, posso fazer Low Carb?

Nos dias atuais, muitas dúvidas surgem em relação à adoção da Low Carb na gestação, fazendo com que a maioria das mulheres prefira uma alimentação popular, com alto nível de carboidratos. Isso ocorre tanto por receio quanto pela falta de pesquisas que mostrem as consequências do método para o crescimento do feto.

Dados de uma pesquisa realizada na Universidade da Carolina do Norte (EUA), apontaram que a restrição de carboidratos na gestação pode aumentar os riscos de defeitos no tubo neural em 30% para o feto. Contudo, é importante ressaltar novamente que ainda faltam mais bases científicas para que o estudo seja concretizado.

A dieta Low Carb não se trata de uma restrição de carboidratos, mas sim de uma redução e substituição por alimentos ricos em proteínas e gorduras boas, como carnes, ovos, legumes e verduras. Por isso, não deve-se afirmar que ela não pode ser adotada por mulheres grávidas, desde que seja sugerido e acompanhado por um profissional capacitado (médico ou nutricionista), uma vez que os nutrientes e vitaminas importantes para o bebê continuariam presentes no cardápio, enquanto as calorias vazias, como pães, biscoitos e massas de farinha branca, seriam evitadas.

Além disso, quando falamos em estudos comprovados, sabemos que a ingestão de alimentos ricos em carboidratos na gravidez pode ocasionar uma condição chamada de Diabetes Gestacional, sendo extremamente prejudicial tanto para a mãe quanto para o feto. Portanto, a adoção da dieta Low Carb na gravidez pode ser possível, desde que seja realizada com acompanhamento profissional de um médico e nutricionista.

Tenho diabetes, posso fazer Low Carb?

Muitos estudos comprovaram que a redução de carboidratos na dieta para pessoas que portam diabetes é uma boa forma de tratar o problema. Isso ocorre porque a ingestão de alimentos com baixo índice glicêmico não irá provocar o açúcar no sangue, uma vez que a redução de carboidratos não dificultará o metabolismo e, dessa forma, melhorará a sensibilidade à insulina.

Contudo, é extremamente necessário que se consulte um médico antes de adotar o método, pois apenas um profissional da saúde poderá dizer o que é melhor para o seu organismo.

Low Carb para hipertrofia

Embora muitas pessoas não aprovem a alimentação Low Carb para hipertrofia, é possível realizar o método junto aos treinos de academia, uma vez que a redução de carboidratos não interfere no controle de calorias ingeridas por dia.

Por ser baixa em carboidratos, a dieta Low Carb não é vista como a melhor opção para quem busca a hipertrofia, no entanto, algumas pessoas podem se beneficiar da estratégia alimentar. Isso acontece porque ao mesmo tempo em que o indivíduo está consumindo alimentos de baixo índice glicêmico, ele está livrando o seu organismo de produtos que não trazem nenhum ponto positivo para seus objetivos, como biscoitos, doces, refrigerantes açucarados, arroz e pães brancos. Dessa forma, essa dieta não seria a pior opção, pois se trata de uma reeducação alimentar que visa novas fontes de energia para o funcionamento do corpo, que são encontradas em alimentos com gorduras boas e proteínas.

De qualquer forma, é importante consultar um profissional antes de iniciar a Low Carb ou associa-la aos treinos da academia, pois para atingir a hipertrofia é necessário uma alimentação personalizada de acordo com o seu organismo.

Sou atleta, posso fazer?

De uma forma geral, a restrição muito severa de carboidratos não é indicada para atletas, ou seja, a Low Carb não é recomendada para quem deseja aumentar seu desempenho físico durante os exercícios.

Os carboidratos que consumimos são a principal fonte de energia usada por nosso corpo e, por isso, sua falta pode causar efeitos bastante prejudiciais em pessoas que realizam exercícios físicos de alta intensidade, como dores de cabeça e indisposição, além de reduzir o rendimento das atividades.

Por outro lado, um estudo com atletas adaptados à dieta cetogênica e atletas não adaptados apontou que o primeiro grupo conseguiu oxidar a gordura corporal de forma muito mais eficaz. Isso quer dizer que os atletas que seguiam a dieta cetogênica contaram com suas reservas de gordura corporal para fornecer energia, ao invés do consumo de carboidratos, e tiveram resultados positivos em relação à performance de exercícios de resistência.

De qualquer forma, ainda não existem bases científicas suficientes para comprovar as consequências da dieta Low Carb para atletas e, por isso, o indicado é consultar um profissional da área da saúde antes de adotar o método.

Sou idoso, posso fazer Low Carb?

Ao contrário do que muitos pensam, a dieta Low Carb não é recomendada para idosos, uma vez que o método que consiste no baixo consumo de carboidratos pode provocar a perda de massa magra quando não realizado de forma correta. Dessa forma, as consequências podem ser prejudiciais para a terceira idade, pois a diminuição da massa compromete a resposta do organismo na prevenção de doenças infecciosas. Portanto, assim como no caso de gestantes, somente se recomendado e acompanhado por um profissional qualificado (médico ou nutricionista).

Low Carb e TPM

A TPM (Tensão Pré-Menstrual) é uma das fases mais complicadas para quem está seguindo uma dieta com baixo teor de carboidrato, pois a maioria das mulheres não consegue ficar sem um docinho para aliviar o estresse que antecede o ciclo. Por esse motivo, o melhor a fazer é optar por receitas de doces ou sobremesas Low Carb, que não tenham açúcares e outros ingredientes que possam atrapalhar os resultados.

  • Treino e Hipertrofia

Posso fazer musculação e Low Carb?

Sim. O treino de musculação é uma ótima forma de manter a massa magra durante a dieta Low Carb, desde que seja feito da forma correta e com orientador físico e nutricional.

De uma forma geral, a pessoa precisará de mais energia para realizar os exercícios e, por isso, deve consumir mais gorduras. Embora a proteína também seja muito importante nesse processo, é importante ressaltar que o seu excesso pode acabar gerando carboidratos, o que iria contra uma alimentação Low Carb.

Como conciliar Treino e Low Carb?

Além de manter uma dieta rica em gorduras e proteínas, o treino para quem segue Low Carb pode ser intensificado com a ajuda de suplementos, como o BCAA, que irá proporcionar mais energia para a performance das atividades, além de influenciar na construção de massa magra.

Posso fazer para ganhar massa magra?

Sim. No entanto, diversos aspectos devem ser levados em conta para que os objetivos sejam alcançados, pois o carboidrato é uma das principais fontes usadas na criação de músculos pelo corpo.

A alimentação Low Carb para quem deseja ganhar massa magra não pode ser baixa em calorias, ou seja, ao invés de carboidratos calóricos, a pessoa deve preferir por outras fontes, como os alimentos ricos em proteínas e gorduras, para que o corpo tenha como construir músculo.

Low Carb e Crossfit dá certo?

Sim. É possível aliar a Low Carb aos treinos de Crossfit, pois o consumo de alimentos ricos em gorduras, principalmente antes do treino, faz com que a pessoa tenha mais saciedade e energia. Dessa forma, a perda de peso pode ser potencializada, uma vez que a falta de carboidratos faz com que o corpo queime gorduras como forma de combustível para praticar o exercício.

Low Carb e Corrida pode?

Sim. Estudos já mostraram que adotar hábitos alimentares que consistem na redução de carboidratos e aumento de gorduras e proteínas na dieta não causam efeitos negativos na performance do esporte. O que ocorre, na verdade, é um período de adaptação, ou seja, a falta de carboidratos faz com que corpo aprenda a buscar uma nova fonte de energia que, consequentemente, será a gordura corporal. Por isso, é possível que alguns efeitos sejam sentidos pelos atletas, afinal, é uma nova dieta que muda o combustível do corpo para exercer as atividades físicas, entre outras.

Low Carb e Caminhada

Unir a dieta Low Carb com a prática de exercícios físicos é uma das melhores formas de perder peso, pois é possível ter um controle na alimentação e garantir também benefícios para a saúde através das atividades.

A caminhada é uma dessas atividades, o que causa bastante surpresa para algumas pessoas, afinal, é muito simples e fácil, tomando apenas algumas horas da semana. O fator que destaca a importância do exercício está relacionado a prevenção de uma condição bastante comum e grave nos dias atuais: o sedentarismo. Por esse motivo, uma simples caminhada no final do dia, de pelo menos 30 minutos, pode potencializar os resultados da dieta e evitar complicações de saúde causadas pela falta de exercícios físicos.

Recentemente, foi lançado um E-book chamado 200 receitas low carb. Saiba mais:

low carbbanner

  • Refeições

Café da manhã Low Carb

O café da manhã é geralmente uma das refeições mais difíceis, principalmente para quem está começando a dieta Low Carb. Ao consumir menos farinhas refinadas e outros açucares, a maioria das pessoas acredita que não restam muitas opções para a primeira refeição do dia, no entanto, isso não ocorre quando você tem acesso à receitas Low Carb.

De forma geral, é sempre muito importante consumir proteínas, como ovo, frango, entre outros, e gorduras boas, presente em frutas como o abacate, por exemplo. Além disso, é possível incluir no cardápio cafés e chás, com adoçante, e pães e bolos Low Carb, que oferecem energia e saciedade para realizar as atividades do dia.

Low Carb para Almoço

Novamente, é preciso ressaltar que a dieta Low Carb consiste no baixo consumo de carboidratos, mas não numa limitação no cardápio. Por isso, a pessoa pode continuar consumindo outros alimentos, desde que eles não possuam um alto índice glicêmico.

As opções para almoço Low Carb incluem frutos do mar, tortas de frango e almôndegas Low Carb, variados legumes e verduras, que podem ser consumidos até mesmo através de sopas deliciosas. O importante é sempre procurar por alimentos não tão industrializados e com poucos carboidratos, focando em proteínas e gorduras para que a perda de peso seja efetiva.

Jantar

Assim como o almoço, os alimentos presentes no jantar também devem conter um baixo teor de carboidratos para serem considerados Low Carb.

Segundo médicos do sono, a alimentação no período da noite precisa ser mais leve, para que problemas como insônia sejam evitados. Portanto, opte por refeições não tão pesadas, consumindo saladas ou frutas de baixo índice glicêmico.

  • Dieta e Emagrecimento

Low Carb faz entrar em cetose?

Sim, é possível entrar em cetose através de uma alimentação Low Carb, pois a redução de carboidratos na dieta faz com que o corpo procure outras fontes de energia para realizar suas funções. No entanto, é importante ressaltar que esse método, quando não realizado com acompanhamento profissional, pode acabar causando diversos efeitos negativos não característicos da cetose.

O estado de cetose é um fenômeno caracterizado pela liberação de corpos cetônicos causada pelo baixo consumo de carboidratos que, consequentemente, faz com que o organismo queime a gordura estocada no corpo para fornecer energia. Por esse motivo, é muito importante que se tenha auxílio profissional ao fazer a Low Carb ou dieta Cetogênica, sendo a última a melhor opção para esse caso, uma vez que para atingir o ponto de cetose, os carboidratos devem ser extremamente reduzidos na alimentação.

Low Carb e Cetogênica são iguais?

Não. A Low Carb consiste em um baixo consumo de carboidratos, em torno de 50g por dia, enquanto a Cetogênica é caracterizada por uma alimentação pobre em carboidratos a fim de atingir o estado de cetose, ou seja, quando as gorduras estocadas no corpo se tornam a principal fonte de energia.

Dessa forma, a principal diferença entre as duas estratégias alimentares é que, na Cetogênica, a quantidade de carboidrato por dia é muito escassa, o que torna a dieta mais rigorosa. No entanto, é possível ter um cardápio bem variado com muitas receitas cetogênicas, tornando a dieta mais fácil conforme o tempo.

  • Qual a melhor?

Low Carb ou Paleo?

Na dieta Paleo, ou Paleolítica, o cardápio é formado por refeições semelhantes as que os nossos antepassados da Idade da Pedra consumiam. Portanto, está liberado comer frutas, carnes, verduras e legumes, desde que sejam extremamente naturais ou minimamente processados. Dessa forma, além de perder peso por conta do baixo nível de carboidratos refinados na dieta, a pessoa estaria prevenindo também diversas doenças causadas por alimentos industrializados.

A dieta Low Carb, caracterizada pelo baixo consumo de carboidratos, pode ser realizada juntamente à dieta Paleo, uma vez que a alimentação natural consiste, consequentemente, no aumento da ingestão de gorduras boas e proteínas que auxiliam no emagrecimento. Além disso, é preciso ressaltar que quanto mais orgânica for sua dieta, mais saudável será para o seu corpo.

Low Carb ou Cetogênica?

A dieta Cetogênica consiste no consumo mínimo de carboidratos, aumentando a ingestão gorduras e proteínas que irão fazer o corpo entrar em estado de cetose. Os resultados são bastante rápidos e positivos quando ela é feita da forma correta, no entanto, o processo de adaptação pode ser um tanto difícil para algumas pessoas.

Quando mudamos a fonte de energia, fazendo com que as funções do corpo sejam realizadas com o uso de estoques de gorduras estocadas ao invés de carboidratos que ingerimos através de alimentos, algumas alterações podem ser percebidas.

Os sintomas do estado inicial de cetose geralmente incluem dores de cabeça, mau hálito, náuseas e fraqueza. No entanto, eles são temporários e fazem parte apenas da fase de adaptação da dieta. Após esse período, a cetose proporciona um grande benefício: ela controla a fome, fazendo com que a sensação de saciedade permaneça por mais tempo.

Dessa forma, tanto a dieta Low Carb quanto a dieta Cetogênica são caracterizadas pela redução de carboidratos e proporcionam resultados efetivos, mas na segunda estratégia alimentar, a forma como a alimentação é feita pode ser mais rigorosa e restritiva. Para saber a melhor opção para você, procure um nutricionista para avaliar os efeitos de cada uma em relação ao seu objetivo.

Low Carb ou contagem de calorias?

Diversos estudos foram realizados ao longos dos anos a fim de avaliar os resultados de uma dieta rica em gorduras e proteínas quando comparadas à contagem de calorias diárias. O que se sabe é que as calorias não agem da mesma forma no corpo quando sua fonte é, por exemplo, o carboidrato.

Num experimento publicado por Kerwick e Pawan na revista médica The Lancet, no ano de 1956, um grupo de pessoas recebeu uma dieta de 1000 calorias por dia por 3 semanas, com 90% de um macronutriente em cada semana, ou seja, carboidratos, gorduras e proteínas.

Os resultados apresentaram que o consumo de gorduras proporcionou uma perda de peso maior do que a dieta com 90% de proteínas, enquanto a alimentação com base em 90% de carboidratos gerou o ganho de peso.

Dessa forma, é possível afirmar que embora a contagem de calorias seja a mesma, 1000 calorias por dia no caso estudado, depende muito do tipo de alimento que você irá ingerir, provando que controlar os carboidratos e seguir uma dieta rica em gorduras e proteínas podem promover o emagrecimento.

Low Carb ou Dieta Flexível?

A Dieta Flexível é caracterizada pelo controle de calorias ingeridas por dia, não importando sua origem. A partir disso, é feito um cálculo de macronutrientes que a pessoa precisa para engordar, ganhar músculos ou emagrecer, no qual existe uma quantidade exata de carboidratos, gorduras e proteínas que ela deve ingerir de acordo com o resultado.

As duas dietas têm efeitos muito positivos no emagrecimento e, por isso, quem não consegue restringir alimentos do cardápio pode optar pela dieta Flexível, uma vez que a mesma não exclui os carboidratos, apenas controla sua quantidade.

De qualquer forma, é importante ressaltar que tanto a Low Carb quanto a dieta Flexível devem ser realizadas com acompanhamento profissional para que não hajam complicações de saúde causadas pela falta de nutrientes.

Low Carb ou Slow Carb?

Na Slow Carb, a pessoa pode consumir carboidratos de baixo índice glicêmico, a fim de evitar picos de insulina ao longo do dia. Dessa forma, alimentos como feijão, arroz e pães integrais estão inclusos na dieta, pois promovem uma absorção mais lenta pelo organismo.

Quando comparada à dieta Low Carb, a alimentação Slow Carb pode ser menos restritiva, trazendo alguns benefícios para quem está iniciando um novo estilo de vida saudável através da alimentação. No entanto, a perda de peso acaba não sendo tão efetiva quanto numa dieta Low Carb, fazendo com que a pessoa emagreça até um certo ponto e não consiga potencializar os resultados. Dessa forma, a alimentação Low Carb pode ser a melhor opção.

Low Carb ou Jejum intermitente?

Tendo como característica principal os intervalos de tempo sem comer, o Jejum Intermitente permite que o indivíduo se alimente durante as janelas de alimentação. Dessa forma, é preciso que essas janelas supram as necessidades do corpo, mas sem levantar a glicose no organismo, ou seja, o consumo de carboidratos com alto índice glicêmico deve ser reduzido. Portanto, a união do Jejum Intermitente e a dieta Low Carb pode ser uma boa opção para quem busca perder peso de forma rápida e saudável, desde que se siga as instruções de um nutricionista ou médico.

banner2

 

  • Bases Científicas. Confira abaixo alguns estudos sobre o Low Carb:

https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1002/bdr2.1198

https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/17461391.2014.959564?journalCode=tejs20&

https://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(56)91691-9/fulltext

https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0031938412002806

https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=6603195

https://annals.org/aim/article-abstract/1900694/effects-low-carbohydrate-low-fat-diets-randomized-trial

 

Recomendados para você:

Iniciando a Low Carb ou o Jejum Intermitente? Confira esses artigos: