Calvície

É normal que uma pessoa perca cerca de 100 fios de cabelo por dia. Isso faz parte do ciclo do fio, que passa pelo crescimento, pelo repouso e pela queda. No entanto, essa queda pode virar um problema quando essa quantidade de cabelo perdido aumenta. Redução de volume e aparecimento de entradas são indícios da temida calvície. E quando isso acontece, é importante que o indivíduo procure ajuda médica o quanto antes. Quanto mais cedo for feito o tratamento, melhor é o resultado.

Quando a queda chega a cerca de 300 fios ao dia, acontece o eflúvio telógeno. Esse quadro é agravado pelo estresse excessivo, disfunções da tireoide, infecções, gravidez, síndrome dos ovários policísticos, dietas restritivas, uso de quimioterápicos, anemia e micoses no couro cabeludo.

cabelo oleoso e fino

No caso da calvície, os fatores de risco são os mesmos. No entanto, ela é agravada pela testosterona que, com tendência genética, sofre a ação de uma enzima e transforma-se em outro hormônio, que afina e diminui o volume dos fios.

Nem homens nem mulheres estão livres da calvície. Entretanto, ela é mais comum no sexo masculino, podendo aparecer em qualquer idade. Neles, os primeiros sinais surgem por volta dos 20 anos, se caracterizando pelas entradas, que manifestam-se progressivamente.  Já nas mulheres, costumam ocorrer depois da menopausa, e a queda se concentra no centro da cabeça.

Calvície masculina: causas e sintomas

Também conhecida por alopecia androgenética, se manifesta em variadas idades e em diversos graus. Como principal causa, está a conversão da testosterona em dihidrotestosterona (DHT), que age no folículo capilar e faz com que ele produza fios mais finos e fracos. Condições hormonais e genéticas contribuem para o aparecimento da calvície masculina, onde a queda de cabelo ocorre nas áreas da testa e na coroa do couro cabeludo.

Na maior parte dos casos, a queda de cabelo é progressiva ao longo dos anos, podendo chegar até 95% da cabeça depois dos 80 anos. Mas a idade não é regra: em alguns casos pode aparecer antes dos 20 anos. Homens com ascendência europeia têm mais probabilidade de desenvolver a calvície.

Os primeiros sinais podem aparecer entre os 17 e os 23 anos. Os cabelos não caem de uma vez, mas vão caindo continuadamente de forma irreversível. O começo é na região da testa, depois o cabelo vai caindo no círculo no topo da cabeça. Então, os cabelos continuam caindo, e a calvície toma conta de toda a área superior da cabeça.

O diagnóstico é clínico e deve ser feito por um especialista, com um exame físico. É preciso puxar os cabelos para diferenciar as causas da queda. A dermatoscopia ajuda na visualização e colabora com o diagnóstico. Biópsia, tricograma e videodermatoscopia também podem ser outras ferramentas utilizadas, dependendo do caso e do paciente.

Calvície feminina: causas e sintomas

Essa condição atinge cerca de 5% das mulheres. A denominada alopecia androgenética tem causas na hipersensibilidade de receptores hormonais no couro cabeludo, que afinam progressivamente os fios, até que o folículo piloso seja totalmente obstruído. As falhas vão aumentando periodicamente. No entanto, é possível controlar um quadro de calvície com o tratamento adequado.

Os primeiros sinais mostram os fios do topo da cabeça ficando mais ralos. Com o tempo, a risca do cabelo vai se alargando e o couro cabeludo fica cada vez mais visível. Geralmente, as causas estão associadas a fatores como a produção hormonal do organismo, histórico familiar, síndrome do ovário policístico e anemia. Algumas mulheres só desenvolvem o quadro depois da menopausa.

Calvície na adolescência

A calvície na adolescência ocorre e deve ser acompanhada por um profissional. Muitas vezes, as causas estão ligadas à alimentação, ao estilo de via e ao uso de substâncias inadequadas. Também pode estar relacionada aos sinais prévios de um quadro de calvície, que pode aparecer entre os 17 e os 23.

Calvície seborréica

Em algum momento você já percebeu que seus cabelos ficam mais pesados, oleosos e seu couro cabeludo apresenta caspas, coceira e até mesmo inflamação. Pois saiba que você pode estar vivenciando um problema chamado dermatite seborréica. Assim como o couro cabeludo é repleto de folículos pilosos, também existe, imediatamente abaixo da pele desta região do corpo um grande conjunto de glândulas sebáceas. As glândulas sebáceas são estruturas essenciais por produzirem o sebo que colabora com o controle da hidratação da superfície da pele, com o seu pH ideal e com a boa qualidade do sistema imunológico cutâneo. Porém, quando produzido em excesso, o sebo acaba promovendo problemas leves, moderados ou severos para a pele. Entre eles a acne, quando acontece no rosto, pescoço ou tronco e a dermatite seborréica, quando ocorre em áreas de couro cabeludo ou outras áreas como a região da testa, sobrancelhas, dobras nasais e até mesmo no tórax em casos mais extensos. No couro cabeludo, a dermatite seborréica acarreta aumento da oleosidade local, caspa/descamação, pequenos processos inflamatórios que lembram a acne, coceira e avermelhamento da área acometida. Casos extremos de dermatite seborréica podem acompanhar até mesmo a queda capilar

Como tratar?

Diante disso, é importante salientar que existe muito pouco que possa ser feito para prevenir a doença, uma vez que ela é geneticamente determinada. Porém, o tratamento instituído precocemente retarda e até uma discreta melhora o quadro clínico. Portanto, é fundamental que os filhos de pais calvos fiquem atentos e idealmente procurem o dermatologista para iniciar um acompanhamento cerca de 10 anos antes da idade em que seu pai começou a notar a calvície e/ou ao menor sinal de entradas.

Neste primeiro momento, serão indicadas medicações tópicas como o minoxidil, xampus específicos e loções. Caso seja necessário e o paciente concorde, pode-se lançar mão da finasterida, medicação oral. Salientamos que ambas as drogas citadas estimulam o crescimento do cabelo em alguns homens, mas são mais úteis como prevenção das manifestações clínicas do que como recuperação da calvície. Como a doença é crônica e evolutiva, o tratamento deve ser instituído precocemente e mantido por tempo prolongado.

No entanto, o tratamento deve ser continuo porque os benefícios obtidos não são mantidos com a retirada da medicação. Além disso, a doença é progressiva, conforme já dissemos. Como efeitos colaterais, a finasterida pode causar perda de libido, disfunção ejaculatória, aumento das mamas e depressão em um pequeno número de indivíduos. Essas alterações em geral são transitórias, mas há alguns relatos de caso em que essas alterações se tornaram persistentes.

Nos casos mais avançados, pode ser indicado o transplante capilar. A área doadora é a região occipital, local em que os pelos não possuem receptores hormonais, e, portanto se mantêm apesar dos hormônios circulantes, mesmo quando colocados em outras regiões.

Remédio natural para calvície

Alho, limão e cebola

e o problema for causado por infecções no couro cabeludo, certamente estes 3 ingredientes antibacterianos ajudarão no tratamento da calvície.

Ingredientes

  • 1 dente de alho
  • O suco de 1 limão
  • 1 cebola

O que você deve fazer?

Para aproveitar os compostos ativos desses ingredientes, devemos extrair o suco e aplicá-lo ao couro cabeludo.

O próximo passo é deixá-lo repousar por cerca de 20 minutos e enxaguar até eliminar o odor remanente.

Leite de coco e cenoura

Um excelente remédio natural usado no tratamento da calvície e perda de cabelo.

A cenoura ajudará a fortalecer o cabelo, porque tem vitaminas B6, B12 e antioxidantes, aliás, essas vitaminam  brindam também uma aparência mais saudável.

Ingredientes

  • 2 cenouras
  • 1 copo de leite de coco (200 ml)

O que você deve fazer?

  • Corte as cenouras, em seguida processe com o leite de coco.
  • Passe a mistura ao longo do cabelo e deixe agir meia hora antes de lavar o cabelo como de costume.

Vinagre de maçã ou de arroz

Cabelos muito gordurosos podem ser a causa da perda de cabelos. Se esse for o seu caso, o vinagre pode funcionar como um bom tratamento da calvície porque ajudará a estimular o fluxo sanguíneo no couro cabeludo.

Ingredientes

  • 2 colheres de vinagre de maçã ou de arroz (20 ml)

O que você deve fazer?

  • Massageie o cabelo com vinagre e deixe repousar durante dez minutos.
  • Para terminar, enxágue com água morna.

Babosa

Existem muitas vantagens da planta aloe vera (babosa) não só para a pele, mas também para o couro cabeludo.

Seu gel possui benefícios curativos, hidratantes, umectantes e anti-inflamatórios.

É um ótimo aliado no tratamento da calvície porque trata ao mesmo tempo que hidrata o couro cabeludo.

Ingredientes

  • 2 colheres de sopa de gel de aloe vera (30 g) (podemos adicionar mais, dependendo do comprimento do cabelo)
  • Água (conforme o necessário)

O que você deve fazer?

  • Extraia o gel interno de uma folha de aloe e adicione-a em uma tigela com água.
  • Misture com uma colher para obter um líquido uniforme, bem dissolvido.
  • Como em casos anteriores, deixe a mistura descansar sobre o cabelo por dez minutos.
  • Em seguida, enxágue com água morna.

Leave a Comment

You have to agree to the comment policy.